(62) 3877-3223 / (62) 3089-5400

Leitura & COMUNICAÇÃO

Postado em 24/07/18
Leitura & COMUNICAÇÃO

“O uso correto da leitura e da comunicação não é restrito à prova de Linguagens e Códigos, ele é necessário em toda a prova do Enem.”

       Ao analisarmos as diretrizes e competências do Enem, Linguagens e Códigos podem ser interpretados como o lugar da leitura e da comunicação

       Leitura - a capacidade do candidato de perceber e interpretar a realidade (problemas, contextos, fatos, dados, conceitos etc.) de forma reflexiva e complexa.

       Comunicação - a capacidade de argumentar (dialogar) usando os mecanismos da língua portuguesa, não só no caso da produção textual da redação, mas também na seleção das alternativas das questões objetivas da prova, pois é a partir da correta seleção destas que o candidato se comunica com a questão.  

       Os textos, em sua maioria, são coerentes, científicos e complexos. Assim, percebemos que a exigência da prova tangencia uma comunicação clara e objetiva (coesa). A performance politizada (cidadã e crítica), produzida pelo próprio candidato (na redação/narrativa) ou selecionada por ele dentro das alternativas de resposta, também é esperada.

       O uso correto da leitura e da comunicação não é restrito à prova de Linguagens e Códigos, ele é necessário em toda a prova do Enem. Esse é um bom motivo para dedicarmos atenção especial a este caderno relacionando-o com os próximos e aplicando as dicas inseridas aqui para todas as áreas do conhecimento.

       Ler e se comunicar por textos aparece como o “calcanhar de Aquiles” da maioria dos candidatos, que se veem traídos pela falta de atenção nos distratores quase sempre inseridos com o intuito de afastá-los da opção correta.

Como evitar a “leitura incompleta” da questão? 

       Em se tratando, principalmente, das provas de linguagens e humanidades, é fundamental considerar o contexto histórico e os créditos (informações de legenda, dados, referências bibliográficas, datas e títulos) dos enunciados, que, muitas vezes, estarão em forma de texto imagético (figura, charge, gráfico, obra de arte etc.), e podem trazer o candidato para a interpretação correta das alternativas. Estes podem funcionar como um porto mais seguro contra os “malwares” distratores da questão. 

       É comum vermos em muitos enunciados da prova de Ciências da Natureza e Matemática a habilidade de interpretação se sobrepor ao conteúdo técnico específico para garantir a seleção da alternativa correta. Uma dica importante e comum é a de o candidato ler antes o comando da questão, para depois se debruçar sobre seu texto (coletânea). 

       A coesão e coerência que o Exame exige do candidato está exemplificada no modelo de pergunta e resposta da prova. Lembrar-se disso é importante para não se prender às ambiguidades e repetir o que ouvimos frequentemente dos alunos: “Fiquei na dúvida entre duas alternativas.” As alternativas de resposta sempre apresentarão itens com conteúdo correto, mas que não são respostas diretas à referida pergunta, e, portanto, deverão ser descartadas.

       Ater-se ao texto da própria questão e contextualizá-la utilizando as informações e dados inscritos nele ou na imagem pode ser fundamental para separar “o joio do trigo” e não atribuir conteúdo excessivo à uma questão objetiva.